Meus ebooks na Amazon

1 – A Gênese do Escritor

2 – A Lua Se Tornando Rubra

3 – Vênus Enfurecida

4 – Guerra em Marte

5 – A Terra Perdendo o Azul

6 – Mercúrio Explosivo

7 – O Muro das Lamentações

8 – O Livro dos Experimentos

9 – Poeira dos Sonhos

10 – Laboratório

11 – Miscelânea (último ebook)

 

Todos os ebooks da Morfeu Editora: clique aqui.

Anúncios

Entrevista comigo

Olá Fábio. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?

O livro é uma reunião de contos sobre as várias etapas da vida. É uma grande homenagem à infância e as memórias construídas através dela. Sempre tive a ideia de escrever um livro sobre a infância e juventude, como uma espécie de prelúdio literário, uma origem para a minha literatura. Apesar disso, o livro é destinado a jovens e adultos que gostariam de despertar as próprias memórias desta época.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?

Comecei a escrever aos treze anos, mas sempre tive contato com as letras. Meu gosto pela Literatura se deu através da leitura de obras da famosa coleção Vaga-lume e com as histórias em quadrinhos. O Ciclo da Vida é meu segundo livro, mas o primeiro em prosa, sem dúvida alguma é apenas o início de minha literatura.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?

O Brasil não tem poucos leitores, mas sim, a leitura é pouco valorizada. A verdade é que a leitura não atrai os jovens e já afastou os mais velhos e nem há interesse de fazê-la se valorizar perante eles. A obrigatoriedade na escola e o modo como é ensinada acabam por afastar potenciais leitores, não há atratividade em obras literárias que, por vezes, é extensa, cansativa e em uma linguagem pouco entendível para os dias de hoje e não se ensina como se deve ler. Machado de Assis não se lê sozinho, deve-se aprendê-lo, portanto não se pode colocar no colo de um adolescente um autor de cem anos atrás e esperar que ele leia a obra deste autor como se visse um filme de ação ou lê-se as mensagens de seus amigos no WhatsApp. Deve-se ensiná-lo a ler. Ensinar a ler literatura.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?

Quando eu escrevi meu primeiro livro (O Sol Se Tornando Cinza, de poesia), passei a procurar oportunidades para publicá-lo de forma própria, então, ao pesquisar no mar de informações sobre o mercado editorial na internet, me deparei com a Scortecci. Li praticamente todas as informações disponíveis e até comprei O Guia do Profissional do Livro, publicado por vocês. Após isso, levou mais um ano até que tive coragem de realmente publicar e lembrei da Scortecci, que havia me chamado a atenção tanto pelo Guia quanto pelo tempo no mercado.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?

Com certeza, pois além de despertar a memória da infância, há um toque especial nos contos que pode surpreender os leitores e fazê-los pensar em histórias de sua infância e adolescência de forma diferente daquelas a que estão acostumados.

A mensagem que eu deixo é: sempre tenha um olhar de criança, mesmo para questões distantes da infância, mas que fazem parte da vida adulta.

Esta entrevista foi originalmente publicada em 14 de novembro de 2016, no Blog do Escritor, da Scortecci Editora, para a divulgação de meu segundo livro.

Meus livros

Minha carreira literária, se é que posso chamar a Literatura de carreira, começou, oficialmente, em 2011, com a publicação de meu primeiro livro. Nem toda carreira literária começa com a publicação de um livro, mas, devido às facilidades de hoje como a autopublicação, considero, obviamente meu primeiro livro como o início dela.

Se formos ver pela perspectiva de minha formação como escritor, então minha carreira literária começou em 2003, quando escrevi minha primeira história. Seja lá qual a sua “ideologia de início de carreira e/ou formação literária”, estes são meus livros até o momento:

O SOL SE TORNADO CINZA

Capa Fábio Guerra - O Sol se tornando cinza

Livro de poesia com pitadas e referências à cultura pop. Poemas que falam de amor, ódio e das mais diversas questões. Tudo com um ar pop e até sombrio. Aqui o conceito de poesia é desfragmentado, não seguindo formas lineares.

Dados técnicos: Scortecci Editora / Poesia / ISBN 978-85-366-2419-8 /
Formato 14 x 21 cm  / 100 páginas / 1ª edição – 2011

O CICLO DA VIDA

Capa ciclo Fábio Guerra

A vida é feita de história. As histórias fazem uma vida. Essas são as histórias de várias épocas da vida. Algumas podem acontecer de verdade, outras são surpreendentes. De fatos banais aos mais incríveis, da imaginação à realidade. Algumas histórias surgiram para marcar. E aqui estão elas.

Dados técnicos: Scortecci Editora / Contos / ISBN 978-85-366-4889-7 / Formato 14 x 21 cm  / 116 páginas / 1ª edição – 2016

Sobre mim, o autor deste blog

Falar de si próprio é a pior coisa para um escritor. Por isso vou ser breve.

Sou escritor, com dois livros publicados: o livro de poesia “O sol se tornando cinza” e o livro de contos “O ciclo da vida”.

Minha titulação acadêmica e científica é a de psicólogo.

Sou ex-estudante de Bacharelado em História.

Escrevo ficção e poesia. Não sou poeta, nem contista, nem romancista, menos ainda dramaturgo e roteirista (seja de quadrinhos, TV ou cinema). Sou escritor. Eu escrevo tudo isso.

Comecei a escrever em 2003. Meu primeiro livro saiu em 2011. Meu segundo em 2016.

Publiquei ambos os livros por conta própria, de forma totalmente independente.

Sou o que chamam hoje de nerd, e isso era uma ofensa terrível em minha época de escola. E não foi muito tempo atrás, não. Ou será que foi?

E isso é tudo o que precisa saber sobre mim. Pronto, agora pode ler este blog.

(E comprar meus livros, mas isso fica para depois)